Cuidados com as Orquídeas

Orquídea Catlleya

Eu adoro ver minhas orquídeas com novas florações. Passamos muito tempo cuidado e esperando por esse momento.
Nesse post vou dar algumas dicas sobre cuidados gerais.
O ideal é saber qual gênero é a sua orquídea. Se você não sabe esse post irá ajudar:
Identificação de Orquídeas – Espécies Mais Populares

Algumas lendas sobre orquídeas que temos que acabar:

1- Uma pergunta muito comum que me fazem é “A minha orquídea morreu, não tem mais flor, jogo fora?”.
O fato da flor ter murchado não significa que a planta morreu. Cuide da sua plantinha e espere a próxima floração.
Eu mesma já vi orquídeas no lixo, uma judiação. Recolhi, recuperei e fui recompensada com lindas flores.

Orquídea Cymbidium

2- “Orquídea não gosta de água”. – Não é bem assim.
Uma atividade comum é pegar o vaso de orquídea, colocar embaixo da torteira e deixar a água cair pelo vaso todo, como se você tivesse dando um banho nela.
Nesse caso alguns cuidados devem ser tomados.
– Não coloque pratinho embaixo do vaso da orquídea. Ela não gosta de ter suas raízes encharcadas. Se isso acontecer ela morre.
– Depois do banho, você deve esperar a água toda escorrer para colocar a planta no local de costume.
– Não deixe água acumulada na base onde nascem as folhas.
– Só regue se o substrato estiver seco
– Nos dias muito quentes ou muito secos você pode borrifar as folhas na parte de cima e de baixo
– Não molhe as flores

Base onde nascem as folhas. Não deixe acumular água nesse local.

 

A quantidade de água é relativa a temperatura, local onde ela está sendo cultivada, a umidade do ar e o tipo de vaso.
Vasos de plástico retém mais umidade, de cerâmica ela transpira mais.
Aqui em São Paulo eu rego 1 vez por semana. Em época de dias muito quentes, 2 regas por semana.
No inverno continuo 1 vez por semana porém diminuio a quantidade de água.
Também reduzo a quantidade de água quando a planta entra em dormência, normalmente é após uma floração. Isso vai depender da espécie que você possui.
De preferência à rega na parte da manhã.

Folha de orquídea desidratada.

3-“Orquídea não gosta de sol” – Gosta sim!
Ela não gosta de ficar exposta durante horas no sol forte.
O sol da manhã é bem vindo, até umas 10hs da manhã ou 8hs em cidades onde o sol é muito forte.
Se a sua opção é o sol da tarde, escolhe um local que receba sol após as 16hs.
A maioria das orquídeas são epífitas, ou seja, ficam embaixo das copas das árvores, protegidas do sol forte.
O importante é ficar atento, se as folhas ficarem queimadas, mude de lugar.

Folha queimada pelo sol.

 

Orquídea Dendrobium com sol do fim da tarde.

Se o verde das folhas estiverem muito escuro, também pode ser falta de luz natural.
Algumas nem chegam a florir se não recebem uma dose diária de sol.
Orquídeas terrestres suportam mais sol.
A Orquídea Grapete é de meia sombra e sol pleno.
A Orquídea Bambu, é de pleno sol.

Orquídea Bambu

4- “Que substrato eu uso?”
Separei pelo tipo de habitat natural delas.
A- Epífitas são praticamente a maioria das orquídeas que são comercializadas.
São adaptadas em troncos de árvores. Se alimentam de matéria orgânica (restos de plantas, de insetos etc).
Possuem pseudobulbos para armazenar água.
Substrato em vaso: Casca de árvores, musgos seco, fibra de coco, carvão e pedrinhas no fundo no vaso.
B-Terrestres: Devem ser cultivadas na terra, não exigem muito adubo. Não possuem pseudobulbos.
C-Rupículas: São encontradas na natureza em fendas de rochas, são mais resistentes ao sol forte.
O Substrato deve ter pedriscos, cascas de árvores, fibra de coco e carvão.

Orquídea Phalaenopsis

5-Adubação:
No mercado você encontra produtos direcionados às orquídeas.
No caso dos adubos químicos, use o NPF 8-14-8 (os numéros podem mudar, mas o do meio sempre precisa ser maior) para época de floração.
NPK 10-10-10 para manutenção.
Use a quantidade estipulada pelo fabricante.

Haste floral quase abrindo.

 

Você também pode optar pelos adubos orgânicos.
Eu adoro o Bokashi. É uma mistura de matéria orgânica de forma balanceada. Tem cinzas, torta de mamona, farelo de arroz etc.
As fixadas em árvores já recebem um adubo natural que escorre pela árvore com as águas da chuva.

Uma nova raiz.

6-Pragas e Doenças:
Caso tenha cochonilhas, ácaros, pulgões, limpe a planta até ela ficar livre dos insetos. Você pode usar um pano úmido ou um pincel macio para eliminar esses sugadores.
Em caso de fungos, retire a parte afetada com uma tesoura limpa e troque o substrato.
Avaliei se seus cuidados e o local onde a planta está sendo cultivada está correto.
Após a limpeza você pode pulverizar com sabão de coco ou vinagre para deixar ela bem limpinha.
Faça isso no final do dia, quando não tem mais sol.

Cochonilhas escondidas entre as folhas.

 

Cochonilhas próxima a flor.

 

Espero que essas dicas ajudem!

Tem orquídeas? Deixei um comentário contando sua experiência.

 

Não retire espécies da natureza. Adquira sua orquídea com fornecedores idôneos.

 

Me sigam nas redes sociais:

unnamedface1pint1

Texto e fotos: Gabriela Trama – jardineira paisagista

Comments are closed.